segunda-feira, 13 de julho de 2009

Para que servem as flores?



O mundo é injusto e mau; pode ser cão para tanta gente que, se você está bem alimentado, aquecido no frio e refrigerado no verão, se dorme numa boa cama e tem uma família para amar e ser amado, nem consegue imaginar. Mas vamos admitir, o mundo é muito bonito. Tudo bem, não muda muita coisa. Essa beleza no entanto é grátis, e de quebra existem as flores: espatódeas, flamboyants, espirradeiras, acácias aos cachos, ipês amarelos, roxos e brancos, algodoeiros-da-praia, as flores da pata-de-vaca, que delicadas, os jasmins-do-cabo brancos e rosas, quaresmeiras carregadas, pessegueiros de flores tão belas, flores de ameixeira, de maçã e de laranjeira, sem falar nas outras árvores frutíferas que também florescem, algumas das quais lindamente. As flores são uma festa para os olhos, e se a gente prestar atenção, uma festa para os outros sentidos também – têm perfumes às vezes deliciosos, pétalas macias de formatos e cores divinas.

A luta pela vida é uma guerra cheia de batalhas perdidas, está certo. Trabalha-se durante a maior parte do dia e ainda sobra pro dia seguinte. Mas pense bem: podem-se aliviar as tensões de quem se quer bem e as próprias apenas com um gesto amigo ou amante, presenteando ou oferecendo ao menos uma flor a alguém e, dependendo do momento, ganhando o coração de quem já nos ganhou. Para isso existem os gerânios, belas-emílias, beijos multicoloridos, malvinas, lantanas ou cambarás de tantos matizes, margaridas brancas e amarelas, papoulas, camélias, violetas, rosas, rosas, rosas de abril e de todos os meses do ano, de todos os tamanhos, tipos e tons; tulipas, fores-de-maio, magnólias, maravilhas, dodôneas, verbenas, flores rasteiras com ou sem nome, flores do campo, palmas e lírios, copos-de-leite, cravos, cravinas e até cravos-de-defunto para os que já se foram; dálias e estrelítzias, amores-perfeitos, crisântemos e flores-de-cera, gérberas e kalanchoes, lisantos e begônias de inúmeras variedades, ciclamens, primaveras e prímulas. Tudo isso é bem capaz de amenizar as agruras da luta e do cansaço. Ao menos tornar um momento do dia, unzinho só, mais agradável e fazer sorrir um pouco.

Até nossa querida alcaparra, tão gostosa em um bom molho, dá uma flor bonita, assim como o cafeeiro e algumas ervas medicinais como as passifloras, belas e calmantes, e o boldo. O capítulo da fitoterapia é tão grande que não caberia numa crônica, mas é bom lembrar os florais de Bach onde reinam as virtudes curativas que elas, as flores, ainda nos oferecem. E a lavanda e a alfazema, entre outras, esses perfumes que fazem a gente se sentir mais limpa e delicada, têm flores bonitas, que crescem em forma de pendão.

E se você vai por seu caminho de sempre, meio murcho e sem muitas expectativas, mas súbito lhe aparece uma cerca coberta por buganvíleas, alamandas ou tumbérgias, epoméias, glicínias, jasmins-estrela, jasmins em cachos, alfinetes, hibiscos, damas-da-noite, madressilvas ou mimosas, brincos-de-princesa, lágrimas-de-cristo, flores de espinheiro, coroas de cristo, rubras como gotas de sangue, ou até essas florinhas plebéias, como a maria-sem-vergonha, os populares bom-dia e boa-noite – vai me dizer que essa beleza toda não mexe com você?

Sim, o mundo tem lá seus graves defeitos, a vida é dura, o amor é difícil de achar. Mas existem as flores, muitas, de mil formas e cores, com utilidades práticas e às vezes somente dedicadas a fazer sorrir e, quem sabe, mudar para melhor a vida de algumas pessoas – e isso já seria suficiente para justificar sua existência e estimular sua presença em nossas casas.

13 comentários:

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

Cadinho RoCo disse...

As flores são mágicas.
Cadinho RoCo

Estela disse...

Lindo tudo isso que você escreveu!
Que seria do mundo sem as flores?
Amo flores...
Bjs.

Doroni Hilgenberg disse...

Adelaide,

Seu maravilhoso texto tão bem escrito, me fez pensar que talvez seja por isso que as flores
enfeitam a vida e também a morte.

e me lembrei também, desse poemeto:

Faz escuro mas eu canto
porque você existe
porque eu existo
porque existe o sol
a aquecer caminhos
e um mundo em flor
vid(A)amor ( D.H)


bjs

Halem Souza disse...

Adelaide: a jardineira das palavras...

Sandra disse...

Boa noite Adelaide...Você consegue extrair as palavras de seu interior e expressá-las à nós com tamanha sensibilidade e grandeza,que nos enternece e nos faz refletir com os olhos da alma!Parabéns!
****************************
Fique com DEUS e té+ver!
Abraços e beijos!
Sandra,do blog:'cia do grafite'.

Sônia Brandão disse...

Olhando para uma flor podemos perceber que a vida vale a pena, que não vivemos em vão.
bjs

Regis Marques disse...

Como diz a composição de Edgard Scandurra, para o IRA!, "eu vejo flores em você..."
Belo texto sobre algo que é tão presente em nosso cotidiano e quase nunca "temos tempo" para parar uns dois minutos e desfrutar desse presente de Deus. Bjs

Mari Amorim disse...

Olá
As flores servem para aquecer a alma,com seu perfume enebriante!
Boas energias
Mari

Eliana Mora (El) disse...

cada flor: um oásis.

Linda lembrança, deda.
beijos da El

O Profeta disse...

Este mar de fresco azul
Estas pedras sentinelas constantes
Estas ondas que adormecem nelas
Vieram do mundo em formas navegantes

O amargo das uvas verdes
Cede ao sorriso do astro rei
O doce invade os sentidos
E a ternura impõe a sua lei


Boa semana


Mágico beijo

Lord Broken Pottery disse...

Adelaide,
Lendo o seu título, cheguei à conclusão que poderíamos, tranquilamente, trocar o que por quem. Para quem servem as flores? Para os que precisam de um pouco de cor. Já pensou na beleza deste destino? Existir para colorir a existência das pessoas. Nada como ser flor na vida.
Beijos

Anônimo disse...

Belíssimo texto , a primeira vez que entro nessa página e amei !